• Auditório Noé Sotillo

Padre Rodrigo Natal e os 365 dias com a Divina Misericórdia

Em “365 dias com a Divina Misericórdia”, o Pe. Rodrigo Natal apresenta lições diárias retiradas dos escritos de Santa Faustina Kowalska, propagadora da devoção que cativou o coração de papas como São João Paulo II e Francisco. São lições para encontrarmos novos propósitos para nossa vida, a fim de crescer na fé, na esperança e na caridade.

Padre Rodrigo estará no ACCOM 2017 e na Expocatólica em São Paulo tive a oportunidade de entrevista-lo. Vale a pena conferir:

Robson Landim: Saímos do Jubileu da Misericórdia e corremos o risco de esquecermos da misericórdia, ficando “reféns” apenas de eventos. Como o livro que o senhor acabou de lançar pode nos ajudar nessa vivência?

Padre Rodrigo: Meu livro é fruto do Ano da Misericórdia, né? Foi uma tecla que o Papa Francisco bateu muito que nós deveríamos levar como fruto desse Ano, uma vida mais misericordiosa, essa característica mais próxima desse Deus amoroso, desse Deus compassivo. Então, "365 dias" é porque nos abrimos cotidianamente. Não é uma experiência só de um ano, mas aquele foi um Ano para que despertasse a nossa atenção a essa característica tão importante de Deus e que ela também estivesse em nossas atitudes e em nosso comportamento. Então, que a gente consiga, dia após dia, a se assemelhar a esse Deus que tem um coração tão aberto para acolher a todos.

Robson Landim: Por que o senhor acha que tanta gente ainda tem medo da misericórdia, expressa na confissão, por exemplo?

Padre Rodrigo: Porque ainda não entendeu que o nosso Deus não é um Deus que está ali contabilizando os nossos erros, mas um Deus que vê além dos nossos limites. Quando a gente fala de misericórdia, nós não estamos falando que Deus é conivente com os nossos erros, mas nós estamos falando de uma ação transformadora. A misericórdia, ela age nos transformando. Quando a gente fala que Deus acolhe, Ele acolhe pra nos fazer melhores.

Robson Landim: Por que é tão importante que as paróquias enviem os seus líderes, agentes de pastorais e sua assembleia para participarem do ACCOM 2017?

Padre Rodrigo: Nós não estamos terminados e ainda estamos longe de sermos misericordiosos como o Pai do céu é misericordioso. Então, um encontro como esse que vai tratar exclusivamente da misericórdia, é sempre muito importante porque esse atributo de Deus precisa estar nas nossas vidas. O ACCOM é uma oportunidade a mais pra nós aprendermos, experimentarmos e reproduzirmos a misericórdia nas nossas comunidades, nas nossas paróquias, enfim, por onde nós andarmos, as pessoas precisam fazer a experiência de olhar pra nós e assim experimentarem mais do amor e da misericórdia do nosso Deus.