• Auditório Noé Sotillo

Entenda porque Jesus é o Rosto da Misericórdia

Podemos iniciar esse texto com a explanação feita pelo próprio Papa Francisco no primeiro parágrafo da Bula “Misericordiae Vultus” de Proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia:

“Jesus Cristo é o rosto da misericórdia do Pai. O mistério da fé cristã parece encontrar nestas palavras a sua síntese. Tal misericórdia tornou-se viva, visível e atingiu o seu clímax em Jesus de Nazaré. O Pai, ‘rico em misericórdia’ (Ef2, 4), depois de ter revelado o seu nome a Moisés como ‘Deus misericordioso e clemente, vagaroso na ira, cheio de bondade e fidelidade’ (Ex34, 6), não cessou de dar a conhecer, de vários modos e em muitos momentos da história, a sua natureza divina”.

O Pai é Misericórdia! O Pai é Misericordioso! Mas não conseguimos ver o Pai, não é? Ele é Aquele que está no invisível, na calmaria, na brisa suave... O Verbo-Encarnado, Jesus Cristo, ao ser indagado pelos discípulos por vezes temerosos e questionadores, nos exorta: “Quem me vê, vê o Pai” (cf. JO 14, 9).

Olhar para Jesus é olhar para o maior dos infinitos atributos de Deus: a Misericórdia! Jesus, o “Rosto Humano de Deus”, como disse São João Paulo II, nos apresenta um Deus fiel que nos ama e que por isso também é capaz de trocar reinos por nós e nos dar Seu próprio filho para a expiação dos nossos pecados e dos pecados do mundo inteiro.

Ao olharmos para o Cristo Eucarístico, podemos rezar também ao Pai que com Ele é UM só Deus.

Jesus, o Misericordiae Vultus, inclusive nos ensinou a rezar a essa Pai das Misericórdias que está no oculto, mas que conhece o que está escondido em nossos corações.

Rezemos com Jesus ao Pai do Céu que é nosso e nos santifica, nos é providente e cheio de amor!